Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/filipe5/metalzone.com.br/site/materias/materia.php:1) in /home/filipe5/metalzone.com.br/Connections/conn_metalzone.php on line 18

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/filipe5/metalzone.com.br/site/materias/materia.php:1) in /home/filipe5/metalzone.com.br/Connections/conn_metalzone.php on line 22
Metal Zone | Metal Brasil | Miasthenia | Revista Digital sobre Heavy Metal, Black Metal, Thrash Metal, Death Metal, Rock. Com resenhas de shows, cds, promoções, entrevistas, bandas de garagem, demo-tapes, cds demo.
Selo Generale traz, pela ótica de Ron Wood, os bastidores de uma das bandas mais importantes do mundo.

Gêneros:

MP3 Download

Schizophrenia

Fight The Fear
(Thrash Metal) Tamanho: 5.98 mb

Schizophrenia
baixar mp3
baixar mais músicas
Dicas de Cds

Immortal

Sons of Northern Darkness
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Immortal
10/10
Ler Resenha

Unearthly

Flagellum Dei
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Unearthly
10/10
Ler Resenha

Sirenia

An Elixir for existence
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Sirenia
8,5/10
Ler Resenha

Crux Caelifera

Ad Lucifer Aeternam Gloriam
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Crux Caelifera
9/10
Ler Resenha

Miasthenia

Batalha Ritual
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Miasthenia
10/10
Ler Resenha

Sear Bliss

Glory and Perdition
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Sear Bliss
9,5/10
Ler Resenha

Perpetual Dusk

Supreme Black Victory
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Perpetual Dusk
10/10
Ler Resenha

Salacious Gods

Piene
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Salacious Gods
8,5/10
Ler Resenha

Evil War

Evil War
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Evil War
9/10
Ler Resenha

Doomsday Ceremony

Apocaliptic Celebration
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Doomsday Ceremony
10/10
Ler Resenha

Nervochaos

Quarrel in Hell
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Nervochaos
9,5/10
Ler Resenha

Miasthenia

Legados do Inframundo
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Miasthenia
10/10
Ler Resenha

Forest of Impaled

Forward the Spears
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Forest of Impaled
9/10
Ler Resenha

Code

Nouveau Gloaming
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Code
9,5/10
Ler Resenha

Cadaveria

The Shadows Madame
(Black Metal)
Por: Filipe Souza

Cadaveria
8,5/10
Ler Resenha



 Metal Brasil

Metal Zone Home Metal Brasil → Miasthenia
Miasthenia

Miasthenia

Gênero: Black Metal
País: Brasil

Formação mais Recente:
HÉCATE – Voz/Teclados
THORMIANAK – Guitarras
MIST – Baixo

http://www.myspace.com/miasthenia

PUBLICIDADE Assassin - Breaking the Silence
Videos

Cradle of Filth

Nymphetamine




Miasthenia

Miasthenia: Lendas sul americanas e black metal

Por: Filipe Souza (filipe@metalzone.com.br)
14/11/2012

Não temos como negar, a Miasthenia é uma dos mais promissores grupos de black metal do nosso país. O grupo já tem mais de dez anos de estrada e para ilustrar o Black Metal que se propuseram a fazer, a banda dá uma aula de história a cada lançamento.

O grupo foi formado por Hécate (guitarra/vocal), Vlad (Baixo/vocal) e Mictlantecutli (batera) no início de 1994, quando se juntaram para tocar black metal com temática de rituais pagãos. A primeira demo foi lançada em 1995 com o título "Para o encanto do Sabbat" além do título ser em português o grupo adotou sua língua natal para toda a demo. O material foi muito bem recebido no underground nacional, o que possibilitou ao grupo lançar uma segunda demo em 1996.

Gravaram "Faun - Trágica Música Noturna". O material dessa demo veio mais elaborado com sons de teclados, executados por Hecate que assumiu o posto de teclados/vocais/contra-baixo e Vlad as guitarras/vocais. A temática foi inspirada na mitologia pagã da antiguidade grega. A banda passou a receber diversos convites para shows e para desafogar Hecate convidaram o amigo Mist para o posto de baixista.

Em 1998 a "Faun..." foi relançada pela Evil Horde rec. Em um Split Cd junto à banda carioca Songe D'Enfer, daí por diante o trabalho da banda cresceu muito em termos de divulgação e repercussão no Brasil.


Foi ainda no ano de 1998 que a parte lírica do grupo deu um salto gigantesco em criatividade, já que a temática adotada foi inspirada na mitologia pagã sul-americana e nas guerras de conquista do século XVI entre cristãos e pagãos no continente sul americano.

Em janeiro de 1999 a banda passou por mudanças na sua formação, com a saída de Vlad. A partir daí Hécate passou a assumir inteiramente os vocais, junto ao teclado. Para fechar o círculo resolveram convidar Thormianak (ex-Skullcrusher – conhecida banda paulista do final da década de 80) para as guitarras.

O primeiro álbum do grupo intitulado “XVI” veio em 2000 depois de muito trabalho. O material foi lançado pela Somber Music. O grupo acentuou ainda mais as fortes concepções pagãs e anticristãs. Os vocais femininos, diferentes do usual no Metal, são agressivos e rasgados, e as canções, que mais se parecem com hinos de guerra são entoados em português.

Em resposta ao bom momento que a banda passava, tiveram a oportunidade única de abrir shows importantes no Brasil como o Incantation em 2001 e para o Marduk em 2003, ambos realizados em Brasília.

Em 2004 o grupo lança o segundo trabalho de estúdio, chamado “Batalha Ritual”. Sua gravação aconteceu no período entre agosto de 2003 e janeiro de 2004. O álbum foi Inspirado em trilhas sonoras épicas e de batalhas, sua temática busca retratar a vingança ancestral em antigas cerimônias pagãs sul-americanas como o canibalismo tupinambá, sacrifícios humanos incas/astecas/maias, hinos de guerra e totemismo, que expressam o ódio ao inimigo. Uma guerra em todas dimensões, seja física ou ritual expressa em cerimônias de vingança onde o sangue do inimigo é sorvido e sua carne devorada.

Os rituais indígenas que no imaginário cristão representavam algo demoníaco e selvagem são retratados nas letras em um cenário habitado por seres míticos e infernais no misterioso Eldorado.

O terceiro trabalho de estúdio do grupo veio em 2008 com “Supremacia Ancestral”, retomando a temática adotada nos álbuns anteriores, cantado em português e tão bem produzido quanto seus antecessores, o disco foi um sem dúvida um dos melhores lançamentos nacionais em 2008.

Em 2011 a banda lançou um DVD “O Ritual da Rebelião” com músicas gravadas em diversas cidades brasileiras.

Discografia:
1998 - Miasthenia/ Song D'Enfer "Visions of nocturnal tragedy" Split CD
2000 - XVI
2004 - Participação no tributo brasileiro ao Rotting Christ "An Evil Existence for Rotting Christ", com o som "Visons of the Dead lovers" gravado em 2000. Lançamento em CD pela Blasphemy Productions (e-mail: blasphemyproductions@yahoo.com)
2004 - Batalha Ritual
2008 - Supremacia Ancestral

Miasthenia


Conteúdo Relacionados

Batalha Ritual

2004
Somber Music
10/10

Esse é o segundo álbum de uma das melhores e mais criativas hordas do nosso black metal. Após quatro anos de luta o grupo lança seu mais recente álbum e com uma produção e qualidade que não só fizeram com que se superassem, mas que também levou a banda ao mais alto degrau no ranking dos grupos de black nacionais.

Eles voltam a investir em músicas onde o tema são as culturas pagãs sul-americanas e regando toda essa aula de história um instrumental de qualidade ímpar, rápido, ríspido e furioso a cada nota. As letras são em português, mas acabam ficando indecifráveis por causa dos vocais de Hecate que são muito rasgados e canta com um ódio de tremer os alicerces da Terra.

Acompanhando o encarte toda a mítica do álbum fica mais envolvente ainda e o Miasthenia consegue mostrar que se pode fazer metal em português sem perder em momento algum a qualidade e a superioridade.

Agora a parte mais complicada fica no momento de destacar alguma música em especial já que todas estão muito niveladas e a cada faixa uma nova experiência e surpresa que a banda consegue transmitir.

Esse é um cd essencial para quem acompanha a cena black metal nacional, já que o Misthenia não deve em nenhum quesito a grupos estrangeiros. Para confirmar o que digo evoque os hinos: “Soturna Selvageria”, “Dimensão Totêmica Ancestral”, “Sacrifício Final”, na verdade todas as músicas.

Faixas

01. Necromânticos Ritos De Guerra
02. Soturna Selvageria
03. Dimensão Totêmica Ancestral
04. De Natureza Infernal
05. Sacrifício Final
06. Nos Domínios De Cã
07.Zôster
08.Mítica Escuridão Do Eldorado
09.Essência Canibalística

Legados do Inframundo

2014
Misanthropic Records
10/10

É complicado escrever sobre uma banda da qual se é muito fã. E mais complicado ainda é passar para o leitor toda a mágica e a sublime sensação de ouvir e sentir o que é um trabalho da Miasthenia.

A banda permeia o imaginário dos fãs de black metal por duas décadas. Nas conversas sempre alguém comenta do grupo que toca black metal cantado em português. Além do fato de que a vocalista é uma mulher e as letras contam histórias sobre a mitologia sul americana. Existe todo um folclore em torno do nome e da história da própria banda. Ouço histórias mirabolantes entre os fãs há anos.

A cada lançamento o grupo se aperfeiçoa, o que é natural, mas com esse quarto trabalho superaram os próprios limites e alcançaram seu Eldorado. O instrumental do CD está de alto nível em comparação aos trabalhos anteriores. E a qualidade da produção engrandeceu os hinos de guerra evocados magistralmente.

Mantendo a tradição de cantar em português, Hécate (vocal/teclado) esbanja versatilidade e crueldade com seus vocais rasgados que entoam suas histórias inspiradas na cosmologia (estudo do universo) mítica dos antigos Maias.

Na faixa de abertura “Deuses Fúnebres” são apresentados alguns dos personagens desse mundo. Uma introdução pomposa e obscura, que dá passagem para “Saga ao Xibalbá” uma canção rápida com a guitarra moendo os ouvidos. O Xibalbá é um lugar descrito na mitologia Maia como um mundo subterrâneo que é governado por espíritos de doença e morte.

Em “Entronizados na Morte”, o guitarrista Thormianak está inspirado e despeja uma avalanche de riffs e notas que abrem caminho marcando a alma do ouvinte com o ódio das letras de Hécate. Uma das mais elaboradas músicas da banda, na minha opinião, é a quarta faixa “Sacerdote Jaguar”. Com mais de seis minutos e enriquecida por passagens rápidas, agressivas com momentos mais melódicos e cadenciados.

À medida que o álbum vai se desenvolvendo parece que as músicas ficam cada vez melhores. E um exemplo disso é a fantástica “Tok’yah”, com um refrão forte. Os teclados e bateria de “13 Ahau Katún” bem como sua letra que traz como detalhe a voz limpa de Hécate entoando um trecho dela. E outro grande momento dessa música é o excelente solo de guitarra, que é magistral.

Mantendo o mesmo clima da música anterior, a ríspida “Senhores do Mitnal” é um outro grande momento do disco. Já com os riffs quase metal tradicional de “Legados do Inframundo”, a música me ganhou nos primeiros segundos. Senão bastasse isso, o coro, mais os solos melódicos e o andamento diferenciado fez dessa música praticamente um trabalho à parte de todo o disco. E essa sim é a mais elaborada música da banda. E de longe minha favorita de toda a discografia.

Para fechar o CD, um bônus: Onde Sangram Pagãs Memórias. Um dos clássicos da banda que ganhou nova mixagem e remasterização ficando ainda mais imponente.

Sem medo de errar posso afirmar que Legados do Inframundo figurará facilmente entre os melhores lançamentos de 2014. Um trabalho bem produzido, com letras fortes e contundentes. Hécate oferece aos fãs um MBA em mitologia Maia.


Faixas

01. Deuses Fúnebres
02. Saga ao Xibalbá
03. Entronizados na Morte
04. Sacerdote Jaguar
05. Tok’yah
06. 13 Ahau Katún
07. Senhores do Mitnal
08. Legados do Inframundo
09. Onde Sangram Pagãs Memórias



Em Foco
Discografia Comentada
Shows
Long Live NWOBHM
Entrevistas


ULA
Metal Zone - Revista Digital especializada em Rock, Heavy Metal e suas vertentes, Tecnologia, Quadrinhos, HQ, Literatura, entre outros assuntos.
Jornalista Respons?vel: Filipe Souza - MTB: 32471/RJ
© 2000 - 2017
Somos Sociáveis :)
  • Myspace
  • Facebook
  • orkut
  • Last FM
  • Twitter
  • You Tube
Desenvolvido pela Art Com Texto - Comunicação & Design